artigos

"Saúde indígena e controle social" vão pautar revista científica. Envie seus artigos!


 Está aberta a chamada pública para submissão de artigos para o número especial da Revista Tempus Actas em Saúde Coletiva (ISSN 1982-8829) sobre Saúde indígena e Controle Social, coordenada pela Profa. Dra. Luciana Benevides Ferreira (DSC-UnB), a ser lançado na 5 Conferência Nacional de Saúde Indígena (CNSI), que acontece este ano, em Brasília-DF.

O presente número da Revista Tempus tem como objeto central as relações entre os povos indígenas, a saúde e os movimentos sociais. O número pretende contar com contribuições em três eixos principais: (a) a participação, o controle social e a saúde dos povos indígenas; (b) os movimentos indígenas e a sua relação com as políticas públicas de saúde; e, (c) a relação intercultural no campo da saúde.

ARTIGO INFORMATIVO V ESTÁ SAINDO DO FORNO... ACESSEM AO NOSSO SITE!!

O artigo informativo do mês foi publicado e está quentinho...


O CONCIES traz esse mês um relato de experiência sobre ação do carnaval de  de rua no município de Paranaíba/MS em parceria com o SAE, uma professora/orientadora e acadêmicos do curso de Psicologia do campus da UFMS local, utilizando como estratégia a política de Redução de Danos aos foliões do município de Paranaíba/MS a fim de refletirmos novos modos de fazer prevenção, promoção e educação em saúde no que diz respeito às vulnerabilidades existentes no carnaval acerca do uso abusivo de álcool e outras drogas, e também do sexo desprotegido.

Para acessar o artigo completo:

http://www.concies.com.br/artigos_15.html

Informações sobre o Artigo Informativo II.

 

Para quem tem acompanhado o nosso site, mensalmente temos a proposta de publicar um artigo informativo em busca de novos diálogos.

Essa proposta iniciou-se no mês passado onde dialogamos a partir da PNH sobre os direitos e desafios dos usuários do SUS que fazem uso abusivo de álcool e outras drogas.

Chamada de Artigos

 

Caros Colegas,
O Boletim da Saúde é uma publicação semestral da Secretaria de Estado da Saúde do Rio Grande do Sul, editada sob a responsabilidade da Escola de Saúde Pública, que visa à difusão do conhecimento em saúde pública e saúde coletiva.

Regulamentação da medicina?

 

_______________________________________________

A resolução do CFM é clara. É da preservação do campo de trabalho médico e do mercado de saúde que trata o projeto 7.703/2006

_______________________________________________

 

Alceu Eduardo Indalencio Furtado*


Muitas manifestações contra e a favor do projeto de lei 7. 703/2006, mais conhecidocomo "ato médico", estão sendo maciçamente divulgadas nos diversos meios de comunicação, mas poucos têm falado sobre a essência desse projeto: trata-se, na realidade, da regulamentação do mercado de saúde, e não da regulamentação da medicina, como querem fazer crer.
 

Que privatizem as Secretarias da Saúde

Continuando a dar eco nesta Rede ao crescente debate público em torno das Organizações Sociais como alternativas de gestão do SUS, divulgo mais um artigo de opinião publicado na Folha de São Paulo, nesta semana. Certamente, uma "resposta" do presidente do Sindicato dos Médicos de São Paulo ao artigo publicado dias antes pelo Prof. Raul Cutait neste mesmo jornal e que comentei em outro post (Quando o bem público vai virando um negócio).

 

Que privatizem as secretarias da Saúde

CID CARVALHAES

 

A terceirização da saúde por meio das organizações sociais de saúde é uma proposta antidemocrática e antissocial

10 anos de atendimento humanizado na saúde

Artigo de opinião na Folha de São Paulo desta quinta-feira!

Por que enfermeiro não fica? Por que profissional de saúde não fica?

 Mais um artigo de 2007, publicado na Ciência e Saúde Coletiva, sobre os índices de rotatividade de enfermeiros e médicos no PSF e seus motivos.

Oia o link aí:

http://www.abrasco.org.br/cienciaesaudecoletiva/artigos/artigo_int.php?id_artigo=2639

Dessa vez na região do Vale do Taquari, RS. Outra metodologia, outros conceitos envolvidos, com relação ao anterior citado neste blog. Entretanto, confirma os mesmos achados de outros: os efeitos da precarização das relações de trabalho, dos meodelos de gestão autoritários, da fragmentação da atenção à saúde, da dificuldade de gestão de conflitos em equipe.

Mais recursos

José Gomes Temporão*

_____________________________

O SUS necessita, sim, de um aprimoramento da gestão. Mas não há gestão que resolva por si só o déficit do sistema.

_____________________________
 

Muitas foram as conquistas nestes mais de 20 anos de criação do Sistema Único de Saúde (SUS). Saímos de uma estrutura que atendia apenas 30 milhões de filiados à Previdência Social para outra, de recorte universal, que atende 190 milhões de brasileiros. Mas é inegável que ainda háuma série de acertos e ajustes a serem feitos, e o Ministério da Saúde está atento a isso.
 

Obama e o SUS

 

Chico D"Angelo*
 

Divulgar conteúdo