matriciamento

Grupo Menos Dor – UMSF São Silvestre e NASF de Jacareí - SP

O trabalho relata a experiência de construção de um grupo, para usuários do SUS com dores crônicas, com base nas demandas percebidas pela Unidade de Saúde da Família São Silvestre, devido a necessidade de uma abordagem integral com enfoque multidisciplinar.

O trabalho foi construído iniciando pelo levantamento de demanda espontânea percebida pela Unidade de Saúde da Família em convergência com a demanda dos profissionais de fisioterapia que atendem na reabilitação da prefeitura de Jacareí, foi realizada a análise em conjunto com a unidade para construção da melhor abordagem e formato do grupo. Com o elevado número de usuários levantado pelos agentes de saúde, percebeu-se a necessidade de criar um Projeto Piloto, para entender e atender adequadamente a população.

Saúde Mental.

O Ministério da Saúde preconiza a função de CAPS como regulador da rede de saúde mental, direcionando as políticas e programas referentes ao tema. Os CAPS devem ser ainda portas de entrada para quadros psiquiátricos agudos e graves, atendendo prontamente crises. Além disso, precisam proporcionar visitas domiciliares, buscas ativas de pacientes, atendimento aos familiares de usuários e apoio matricial, ou seja, apoio técnico às unidades básicas e Estratégia Saúde da Família, de modo a fortalecer a rede de saúde mental, onde não devem existir referências transferindo responsabilidades, mas sim integração de equipes nos cuidados aos pacientes. Porém, a realidade que conheço destes CAPS é sobrecarga de serviços para equipes em número insuficiente.

Dia Mundial de Saúde Mental em Jaraguá do Sul SC!

Hoje encontrei novos velhos amigos! Foi assim que me senti acolhida em Jaraguá do Sul SC para participar do 2 Encontro de Saúde Mental dos Municípios da AMVALI (região do Rio Itapocu). Encontro este que deu destaque a Política Nacional de Humanização como base do trabalho que vem sendo desenvolvido pela Câmara Técnica de Saúde Mental com todos os municípios da região.

GT de Apoio em Santa Maria

O Grupo de Trabalho de Atenção Básica e Redes – GT ABR, constituído em Santa Maria, em decorrência do incêndio no dia 27 de janeiro deste ano, como um grupo Itinerante de Apoio às equipes da Atenção Primária (APS) - Unidades Básicas e Estratégia Saúde da Família (ESF), após cerca de 7 meses do desastre permanece em plenas atividades.
Este foi um dos oito grupos instituídos juntamente com o Serviço de Acolhimento 24 Horas - atendimento psicossocial às famílias/pessoas envolvidas no desastre sob a coordenação do Departamento de Ações em Saúde/Secretaria de Estado da Saúde (DAS/SES/RS) e Coordenação de Saúde Mental de Santa Maria.

Atenção Básica no Alto do Morro

Mulheres - Agentes Comunitárias de Saúde

No fundo de um barraco no alto do morro

Um cãozinho guarda a porta

La dentro duas almas se escondem do mundo

Protegem o afeto mútuo

Da feia realidade da fronteira

Que separa a cidade dos excluídos

Da cidade dos cidadãos certinhos

Em sua luta para vingar seus fantasmas

Se esquecem de olhar o céu acima e a cidade abaixo

Mas as mulheres, passam por homens armados

Encaram as escadas sujas e sobem o beco

Levam um amor feminino de cuidado e acolhimento

A dois homens perdidos na difícil arte de cuidarem-se

Em meio a guerra urbana

Lutada pelo privilegio de vender a vigília e o sono

Aos normais que vivem mais perto do rio

Centro de Saúde do Idoso - Acolhimento estruturando a rede de atenção ao idoso de Blumenau

O Centro de Saúde do Idoso (CSI) da tem como missão, acolher o idoso e sua família de forma integral e qualificada. Promover saúde, prevenir doenças e potencializar as funcionalidades através de ações interdisciplinares visando melhorar a qualidade de vida do idoso.

NASF de Biguaçu apoia ESFs no Acolhimento

NASF DE BIGUAÇU NO III ENCONTRO MACRORREGIONAL ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA GRANFPOLIS

A Mostra de Trabalhos da Estratégia da Saúde da Família (ESF) da Grande Florianópolis, realizada em 5 de outubro, no III ENCONTRO MACRORREGIONAL ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA GRANFPOLIS, foi marcada por apresentação de temas inovadores na rede pública de saúde da região.
Entre os trabalhos apresentados no encontro destacou-se o trabalho do NASF/Biguaçu:
Humanização do cuidado e acolhimento - Dialogando com as práticas no território da Estratégia de Saúde da Família – NASF/Biguaçu

Enfim mais NASFs !!!

 Há exatamente 1 ano atrás participei junto a outros companheiros daqui de Natal, do Seminário Nacional de Atenção Primária em Saúde Sobre o Publico e o Privado, organizado pelo CNS. Lembro-me bem que um dos encaminhamentos deste evento, na sua Carta de Recomendação, era dimnuir o número de unidades de ESF por NASF-  E aqui, enfim a efetivação desta e muitas outras demandas encaminhadas !  Muito bom ver que, os encontros e trabalhos coletivos como esse, e muitos outros que caminharam juntos, resultam em boas , necessárias e coerentes decisões de Gestão... ( um sonho susista que tenho: trabalhar em um NASF , para resgatar o trabalho do mestrado e retoma-lo efetivamente, na APS)- Enfim, a boa notícia:

 

Assista ao debate "A Questão do Matriciamento na ESF: desafios e estratégias de ação"

A Política Nacional de Humanização (Ministério da Saúde) e o Centro de Saúde Escola do Butantã (FMUSP) realizaram na última sexta-feira, dia 3 de abril de 2009, no anfiteatro do CSEB-FMUSP, em São Paulo, um encontro/debate para problematizar, discutir, refletir coletivamente sobre o processo de implantação dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) e, mais especificamente, sobre a questão do apoio matricial.

Seminário "A questão do Matriciamento na ESF: desafios e estratégias de ação"

 A Política Nacional de Humanização (Ministério da Saúde) e o Centro de Saúde Escola do Butantã (FMUSP) convidam para o encontro/debate:

"A questão do Matriciamento na ESF: desafios e estratégias de ação"

A novidade NASFs – implementação dos Núcleos de Assistência à Saúde da Família, aprovados pelo MS, em 2008 - vem produzindo inquietações e demandando trabalho de análise por parte dos trabalhadores que compõem suas equipes e de todos nós que, no SUS, enfrentamos os desafios cotidianos da Atenção Primária em nosso país.

Divulgar conteúdo