HUMANIZAÇÃO NO SETOR DE RADIOLOGIA

Primary tabs


6votos

HUMANIZAÇÃO NO SETOR DE RADIOLOGIA

Iago Estéfano Brito da Silva is offline

HUMANIZAÇÃO NO SETOR DE RADIOLOGIA: um relato de experiência

Iago Estéfano Brito da Silva[1]

Valdetrudes Paz Junior [2]

 

(Resumo) O relato traz as reflexões que a experiência do estágio supervisionado obrigatório oportunizou vivenciar em 208 exames realizados, durante aproximadamente três meses no setor de Radiologia em um Hospital no interior do Rio Grande do Norte. E, mais do que a proximidade com as experiências dos diversos atendimentos, objetiva abordar as dificuldades encontradas, assim também como a necessidade da humanização dos serviços no setor de Radiologia médica. Conclui-se que o trabalho do técnico em Radiologia é pautado por cuidados complexos, individualizado, integral e humanizado, apesar das grandes dificuldades.

(Introdução) Na busca de atendimento de qualidade aos usuários dos serviços de saúde, com foco nas necessidades individuais e subjetivas do individuo, foi intensificada nos últimos anos, a discussão sobre a necessidade da humanização. Entende-se que a humanização deve perpassar todos os serviços de saúde, em seus mais variados setores e em todos os níveis de atenção. Este estudo identificou que na atenção secundaria no setor de radiologia, existem grandes dificuldades para efetivar o cuidado humanizado. A motivação de realizar este estudo advém das observações do trabalho dos profissionais no setor radiológico.

(Objetivos) Relatar experiências vividas no setor de radiologia de um Hospital, com enfoque na humanização do setor radiológico, identificando as principais dificuldades encontradas pelos profissionais da área e sugerir possíveis soluções para melhoria da humanização no setor.

(Metodologia) Trata-se de um relato de experiência, realizado durante um estágio supervisionado obrigatório do curso técnico em Radiologia, no período de fevereiro a abril de 2014, no setor de Radiologia de um Hospital no interior do estado do Rio Grande do Norte.

(Resultados) Este estudo identificou dificuldades dos profissionais das técnicas radiológicas para uma prática de trabalho humanizada. O relato parece que é algo simples de ser feito, que deve ser natural, já que seres humanos cuidam de seres humanos rotineiramente. No entanto, observa-se a dificuldade de alguns profissionais chamarem o paciente pelo nome, dar um sorriso, olhar nos olhos, percebê-lo como alguém que necessita de atenção e escuta indo além da tecnologia proporcionada por uma máquina. Não está se propondo a diminuição do uso da tecnologia, mas, sim, a utilização de outras formas de perceber o paciente, indo ao encontro do que é preconizado pela Política Nacional de Humanização do Ministério da Saúde e ao Código de Ética dos Profissionais das Técnicas Radiológicas. Segundo o artigo 4º do capitulo III do Código de Ética dos Profissionais das Técnicas Radiológicas, 2011, O alvo de toda a atenção do Tecnólogo, Técnico e Auxiliar em Radiologia, é o cliente/paciente, em beneficio do qual deverá agir com o máximo de zelo e o melhor de sua capacidade física e profissional. A humanização é um processo simples e ao mesmo tempo bastante complexo, já que envolve mudanças comportamentais, assim, a importância da comunicação entre os profissionais é de extrema importância para um cuidado humanizado.

(Conclusão) O trabalho do técnico em radiologia é pautado por cuidados complexos, individualizado, integral e humanizado, apesar das grandes dificuldades. A cobrança pela produtividade e pela qualidade é entendida até pelo alto número e a diversidade de exames realizados por dia. Mas, o alto fluxo de pacientes faz com que alguns profissionais esqueçam de que todo exame envolve uma ou mais vidas e exerçam um trabalho mecanizado. O hospital é uma grande instituição de saúde que deve trabalhar de forma integrada e humanizada para atender às necessidades dos pacientes que o procuram. No entanto, o que se percebe é um sistema desarticulado, no qual cada setor executa seu trabalho com pouca comunicação com os demais. Com isso, os exames acabam sendo repetidos, submetendo o paciente a mais radiação e consequente demora do seguimento de seu atendimento. Tal fato decorre da pouca comunicação, falta de interesse da equipe multiprofissional; e dificuldades sobre informações básicas, como posicionamento adequado, e letras ilegíveis. Os profissionais que estão dando assistência ao paciente no momento do exame ficam receosos do perigo à exposição dos raios-X e, com isso, deixam o local em busca de proteção. Assim sendo, este realiza o posicionamento em condições desfavoráveis por estar sozinho, e com muita pressão de tempo e qualidade do serviço, correndo risco de causar algum acidente na manipulação indevida dos pacientes. A participação de todos os profissionais ajudando-se mutuamente diminui o risco de acidentes e o paciente não sofre com a manipulação única de um funcionário, partindo do pressuposto que todas as informações devem ser difundidas e aplicadas na forma prática entre os profissionais. Sugere-se que as instituições e órgãos públicos e privados competentes da saúde estimulem e promovam treinamentos e cursos de atualizações profissionais sobre o tema. Somado a essas observações, vale salientar a escassez de estudos sobre a humanização do trabalho do radiologista, o que demonstra a relevância do tema, e enfatiza-se a importância de mais estudos na área.

Descritores: Radiologia, Humanização, Serviço hospitalar de radiologia.



[1]Autor: Técnico em Radiologia Médica, Professor Centro de Profissionalização do Vale do Assú –CEPROVA. Email: iagobrito_Rad@hotmail.com.

[2]Orientador: Técnico em Radioterapia na LMECC – Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer. Hospital da Solidariedade – Unidade Radioterapia. Membro - SBPR -Sociedade Brasileira de Proteção Radiológica. E-mail: valdetrudesjunior@hotmail.com

 

 3 COMENTÁRIOS

Iago Estéfano Brito da Silva is offline

Trabalho Cientifico Aprovado e apresentado na forma de pôster dentro da programação científica do 5º Congresso Nacional e 2º Intercâmbio internacional dos Profissionais das Técnicas Radiológicas, realizado no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília/DF, nos dias 30, 31 de outubro e 1º de novembro de 2015.
Inst.promotora: Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia - CONTER.
 

 

Emilia Alves de Sousa is offline

Olá Iago,

Que bacana a sua publicação que traz esse olhar ampliado/transversal de humanização no cuidado, para além do consultório médico, da enfermaria, transitando todos os espaços e serviços de saúde, e não poderia ser diferente no serviço de radiologia, muito embora, a realidade seja bem diferente. Quem já passou por um atendimento radiológico conhece muito bem a frieza do ambiente, a falta de uma relação dialógica profissional/usuário, a perca da identidade da pessoa, ou seja,  em muitos casos, o usuário é percebido não como uma pessoa, mas como um saco de órgãos, sem nenhuma autonomia e protagonismo.

Concordo plenamente com a sua sugestão de treinamentos e cursos de atualizações sobre o tema para os profissionais envolvidos com esse serviço. Muito importante!

Parabéns pelo artigo e pelo compartilhamento conosco!

PS. O que acha de inserir uma imagem no corpo do post para um maior destaque neste espaço?

Compartilho aqui um tutorial de ajuda que mostra como fazer, caso necessite!

http://www.redehumanizasus.net/ajuda

AbraSUS!

Emília

Iago Estéfano Brito da Silva is offline

Muito obrigado pelo Feedback!

Sou técnico em Radiologia e Professor do curso; tento aos poucos preparar novos profissionais para mudarmos essa triste realidade.

Ja trabalhei no  Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica - PMAQ-AB do Ministério da Saúde, então conheço de perto essa deficiencia na qualidade do atendimento em todos os setores.

Mais com luta e estudo faremos um SUS cada vez melhor.

 

AbraSUS!

Últimos posts promovidos


Altair Lira is offline
4votos

7ª Turma do Curso de Extensão em Saúde Coletiva sobre Atenção Integral à Saúde de Pessoas com Doença Falciforme - Educação à Distância (EAD)

Bom dia à todas e todos profissionais e gestores Me ​apresento, Sou Altair Lira Faço parte da ​Coordenação Pedagógica do ​ Curso de Extensão em Saúde Coletiva sobre Atenção Integral à Saúde de Pessoas com Doença Falciforme na modalidade de Educação à Distância (EAD). ​Este curso se apresenta como importante ferramenta na capacitação/formação de profissionais de saúde e gestores com vistas à promoção da assistência à saúde das pessoas com doença falciforme.

Últimos posts comentados


Adilton Dorival Leite is offline
3votos

Cofen publica nota técnica sobre administração da Penicilina Benzatina

Documento reforça importância da administração da Penicilina Benzatina nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) para conter avanço da sífilis.

O Conselho Federal de Enfermagem publicou, neste terça-feira (21/6), nota técnica sobre a importância da administração da penicilina benzatina nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Sistema Único de Saúde (SUS), principalmente para o tratamento d