Pesquisadores da Fiocruz identificam riscos para a saúde resultantes da seca no Semiárido

Primary tabs


6votos

Pesquisadores da Fiocruz identificam riscos para a saúde resultantes da seca no Semiárido

Graca Portela is offline

(Release do PlosOne)

Pesquisadores da Fiocruz, junto a pesquisadores das universidades de Washington (EUA) e de Canberra (Austrália), lançaram um informe sobre vulnerabilidades, exposições, perigos e riscos para a saúde, resultante das secas para 1.135 municípios em nove estados do Semiárido Brasileiro (Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe). O estudo mostra que os municípios do Semiárido têm condições menos favoráveis nas dimensões sociais, ambientais, econômicas e de saúde, quando comparados com os demais municípios do país. E ainda, dentro dos próprios estados, os municípios no Semiárido apresentam condições mais adversas que os municípios fora desta região, no mesmo estado.

"O estudo toma dados básicos e utiliza os conceitos de risco de desastre em função das exposições, das vulnerabilidades e dos perigos que enfrentam as comunidades no Semiárido, para construção de um índice com a finalidade de apoiar a tomada de decisões", comentou a pesquisadora Aderita Sena, autora principal do estudo. O projeto faz parte do trabalho do Observatório de Clima e Saúde da Fiocruz, liderado pelo pesquisador Christovam Barcellos. "A seca é um problema recorrente nessa região", afirma Barcellos, "mas a nossa preocupação é que as mudanças climáticas farão essa situação muito pior", acrescenta o pesquisador.

Além dos pesquisadores citados, participaram da pesquisa Kristie Ebi, da Universidade de Washington (EUA), Carlos Machado de Freitas, da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz) e Carlos Corvalan, da Universidade de Canberra, (Austrália).

Para acessar acessar o artigo (que está em inglês), clique aqui ou aqui

Créditos

Fotos: Creative Commons | Montagem: Graça Portela (Ascom/Icict/Fiocruz)

 1 COMENTÁRIOS

Emilia Alves de Sousa is offline

A seca é um problema recorrente nessa região", nenhuma novidade a respeito, todos sabem! A pergunta é: que iniciativas estão sendo pensadas para o enfrentamento da situação que vem deixando milhares de famílias numa situação difícil de sobrevivência? Ainda há pouco, ouvia uma reportagem num jornal local, sobre a situação difícil de estiagem dos municípios do semiárido Piauiense. Muitas famílias tomadas pelo desespero da seca, e sem a minha perspectiva de solução. A situação é de urgência e exige ações urgentes!

Obrigada Graça pelo compartilhamento da informação desse estudo!

AbraSUS!

Emília

 

Últimos posts promovidos


Dayane Ferreira de Melo is offline
6votos

Fortaleza receberá evento sobre doenças reumáticas em pessoas jovens

Jovens cearenses que convivem com doenças reumáticas poderão se encontrar em evento exclusivo no próximo dia 19 em Fortaleza

Últimos posts comentados


Raquel Torres Gurgel is offline
3votos

Dá pra ter uma mostra Saúde É Meu Lugar na sua cidade.

Há três ou quatro meses, divulgamos aqui a Mostra Saúde É Meu Lugar – um projeto da Rede Brasileira de Escolas de Saúde Pública que busca dar visibilidade ao trabalho de quem atua na Atenção Básica, nos territórios.