Estado inaugura leitos da Rede de Atenção Psicossocial na Maternidade Evangelina Rosa

Primary tabs


6votos

Estado inaugura leitos da Rede de Atenção Psicossocial na Maternidade Evangelina Rosa

Emilia Alves de Sousa is offline

Mesmo em tempo de crise, a humanização do SUS avança no estado do Piaui

O Secretário de Estado da Saúde do Piaui, Francisco Costa, inaugurou, nessa quinta-feira (16), os primeiros leitos estruturados da Rede de Atenção Psicossocial (Raps) do Estado, na Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER). O serviço vai contemplar pacientes com sofrimento mental e com necessidades de saúde como, por exemplo, os decorrentes do uso de álcool, crack e outras drogas, que serão acolhidas por uma equipe multiprofissional que oferecerá atenção diferenciada, estruturada e qualificada.

Considerando a necessidade de uma assistência humanizada na unidade hospitalar e como estratégia facilitadora, foram habilitadas duas enfermarias, seis leitos ao todo, na Ala E da Evangelina, que serão ocupadas por pacientes que tiverem esse perfil. "A Política de Atenção Psicossocial vem buscando ter o foco especial, por meio da Raps, e aqui na maternidade, pela sua tradição e comprometimento de toda sua equipe, de querer melhorias para o atendimento da saúde, bem como pela demanda significativa de mulheres que precisam desse tipo de acompanhamento, está iniciando esse trabalho”, afirmou Francisco Costa, reforçando o trabalho conjunto entre a gestão da MDER com a equipe de Saúde Mental da Sesapi para viabilização da entrega dos leitos.

O secretário anunciou também a expansão da rede para outras unidades hospitalares, como Hospital da Polícia Militar (HPM), Hospital Getúlio Vargas (HGV), além de alguns pontos de atenção do interior do estado.

Para o diretor-técnico da MDER, Marcos Bittencourt, trata-se de mais um dia importante para a maternidade, por toda sua história de pioneirismo. “A política de saúde mental vem estruturando o acesso dos portadores de transtornos mentais aos direitos sociais e trazendo conceitos essenciais para estabelecer um cuidado cada vez mais próximo das características preconizadas pela Reforma Psiquiátrica Brasileira no atendimento em saúde mental e que apresentam necessidades decorrentes do uso de álcool, crack e outras drogas”, explicou Marcos.

Segundo a Gerente de Saúde Mental do Estado, Gisele Martins, será desenvolvido um projeto terapêutico individual institucional através de uma equipe de médicos psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas ocupacionais e profissionais da enfermagem que vão fazer o acompanhamento enquanto estiver no leito e após a alta hospitalar será referenciada para um fluxo de continuidade do atendimento nos CAPS e Unidades de Acolhimento. “Esses profissionais irão prestar serviço humanizado, de qualidade a todas as gestantes e puérperas que tiverem esse perfil, bem como a seus familiares”, destacou a coordenadora da Raps na Mder, enfermeira Bárbara Paz.

Por Astrid Lages

Assessoria de Comunicação SESAPI

 

 0 COMENTÁRIOS

Últimos posts promovidos


Nilciany Camargo is offline
8votos

Atenção Domiciliar - Tire suas dúvidas AO VIVO • 24/03 • 10h e 14h

O Formação em Debate desta sexta-feira (24/03) vai falar sobre Atenção Domiciliar com a participação da Dra. Fernanda de Carvalho Affonso, Supervisora Médica do Programa Melhor em Casa do Hospital São Luiz Gonzaga – Santa Casa de São Paulo.

A transmissão é pelo Canal Profissional, nas TVs das Unidade de Saúde do município de São Paulo em dois horários: às 10h e às 14h.

Últimos posts comentados


Emilia Alves de Sousa is offline
0votos

MS e UFMG promovem curso EAD sobre Atenção à Mulher em Situação de Violência

Imagem de Sebastião Moreira

Estão abertas até o dia 6 de abril próximo as inscrições para o curso de extensão “Atenção à Mulher em Situação de Violência” - modalidade Ensino à Distância (EAD). O treinamento é promovido pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), por meio do projeto Para Elas, desenvolvido em parceria com a Coordenação Geral de Saúde das Mulheres (Dapes/SAS), do Ministério da Saúde (MS). O objetivo é capacitar profissionais para a abordagem da mulher em situação de violência.