Casa do Povo como ponto de produção de saúde na cidade de São Paulo

Primary tabs


15votos

Casa do Povo como ponto de produção de saúde na cidade de São Paulo

Marcia Moraes is offline

O vídeo compartilhado neste post é o primeiro de uma série de produções audiovisuais a ser compartilhada em breve, como resultado da proposta do curso "Rede de Produção de Saúde na perspectiva da Inteligência Coletiva", do Programa de Educação Permanente Rede SAMPA - Saúde Mental Paulistana, para gestores e trabalhadores da rede oferecido pela Escola Municipal de Saúde de São Paulo (EMS/SP).

A produção de "curtas" faz parte de uma estratégia de ativação da Inteligência Coletiva proposta pelo curso, baseada na ideia de compor uma cartografia coletiva dos pontos de saúde identificados pelos participantes nos diversos territórios de trbalho na cidade.

O grupo que realizou este vídeo trabalha na região central da metrópole e escolheu apresentar como ponto de produção de saúde a Casa do Povo, espaço histórico de resistência, memória e abertura ao novo, ao experimental e à vanguarda, cravada no coração do Bom Retiro, tradicional bairro dessa região da cidade.

Belo trabalho realizado por Ana Carolina Fainzbilber, Anderson de Oliveira Silva, Josemar da Nóbrega Dantas, Juliana Marin, Maria Eugênia Mesquita, Patrícia Farina, Patícia Villas-Boas e Salete Monteiro Amador.        

                                 

 

 

 

 

 

 

 4 COMENTÁRIOS

Emilia Alves de Sousa is offline

Oi Márcia,

O tema já estimula o nosso imaginário para um espaço de ocupação, de participação democrática, e quando você vê o vídeo, não tem como não se encantar com as imagens e depoimentos marcantes de pessoas ativistas que mostram um novo conceito de produzir saúde. Um conceito de saúde pensado  de forma integral, com práticas que possibilitem tirar a pessoa da ociosidade, do individualismo, para um lugar de ativismo, de resistência,  de participação e construção coletiva, em benefício do bem comum. Um lugar, como mostra o depoimento:

“Um lugar que faz renascer a esperança e ter um horizonte...um horizonte de um futuro próximo, mas um horizonte também olhando para trás...”

AbraSUS!

Emília

Parabéns para esses profissionais que fazem a casa do povo ser a casa de todos , construída com todos, fazendo renascer a esperança  e o otimismo de um novo tempo, onde todos são protagonistas!

Marcia Moraes is offline

Emília querida,

Penso que mais do que nunca devemos ocupar o espaço da cidade (de todas as cidades!) com VIDA PULSANTE, promovendo encontros potentes, ou seja, encontros que "estimulem o nosso imginário" para criar mais e mais "espaços de ocupação", de "participação democrática"!

 

AbraSUS para você também!

Marcia

Patrícia Farina is offline

Olá, Márcia

Obrigada pela postagem e à você e toda equipe pela orientação e  oportunidade de realização do curso. Adoramos realizar o vídeo e conhecer a Casa do Povo.  Força para Benjamin e todos nós nessa luta.

Bjs

Patty Farina

Marcia Moraes is offline

Patrícia, que bom ter você aqui, compondo essa rede!

Eu é que agradeço em nome de toda a equipe a oportunidade de estarmos e fazermos juntos esse trabalho maravilhoso, intenso e de grande contribuição para a saúde de todos nós - trabalhadores, usuários e não usuários, sem exceção!

Um beijo,

Marcia

 

Últimos posts promovidos


Raphael Henrique Travia is offline
5votos

"Nós" da RedeHumanizaSUS fazendo história na 1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde

No dia 19.04.2016 fiz logo cedo o credenciamento da 1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde para poder escolher as mesas das quais iria participar.

Últimos posts comentados


cleusapavan is offline
10votos

PRODUÇÃO DE SUBJETIVIDADE: COMO ANDA O IMAGINÁRIO SOCIAL DA PERIFERIA DE SÃO PAULO

Quem trabalha ou se interessa pela temática da produção de subjetividade no contemporâneo, mais especificamente, no Brasil de 2017, vai encontrar dados muito instigantes na pesquisa recém saída do forno da Fundação Perseu Abramo: “Percepções e valores políticos nas periferias de São Paulo”.

Trata-se de uma pesquisa qualitativa em que, com categorias originais, nos aproximamos de uma construção analítica passível de nos surpreender imensamente.