Banco de Leite de hospital do DF recebe novo certificado de excelência

Primary tabs


6votos

Banco de Leite de hospital do DF recebe novo certificado de excelência

Rafael Nunes is offline

Banco de Leite de hospital do DF recebe novo

certificado de excelência

 

A unidade médica foi a primeira a implantar o banco privado de leite humano do país e já atendeu mais de 3 mil recém-nascidos em 23 anos na capital

 

O Banco de Leite Humano (BLH) do Hospital Santa Lúcia será certificado mais uma vez como Padrão Ouro pela alta qualidade de todos os seus processos de trabalho, do acolhimento das mães à coleta, armazenamento, pasteurização e distribuição do leite para os bebês que estão internados na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) e necessitam dele.

 

O credenciamento — concedido anualmente pela Rede Ibero-Americana de Bancos de Leite Humano/ Fiocruz e pela Coordenação Geral de Saúde da Criança e Aleitamento Materno do Ministério da Saúde — é o reconhecimento de que o Hospital atingiu a excelência no cumprimento das normas da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (Rede BLH-BR).

 

“O leite materno salva vidas e é importante para todos os bebês, principalmente para os que estão internados e não podem ser amamentados pela própria mãe. No Santa Lúcia, temos o orgulho de ser Padrão Ouro porque atendemos a todas as exigências da Rede BLH”, explica Sheila Almeida, enfermeira supervisora do Banco de Leite Humano do Hospital.

 

Entre os critérios avaliados estão a qualidade da equipe técnica, dos equipamentos — especialmente os de pasteurização e conservação do leite —, a sua correta identificação e rastreabilidade, além do atendimento a mais de 90% da UTI Neonatal exclusivamente com leite materno.

 

O Brasil é o país que mais coleta leite materno no mundo e possui convênio de cooperação com mais de 20 países, segundo o Ministério da Saúde. No DF, a coleta alcançou 17.356 litros em 2013, tornando-se a unidade federativa que mais coleta leite materno no país. De acordo com o médico neonatologista do Hospital Santa Lúcia, Nelson Diniz, a oferta de leite humano aos bebês da UTIN do Hospital Santa Lúcia também é gratuita. “Muitos pensam que, por ser um hospital privado, o serviço é pago. Mas, se há algo que dinheiro não compra é o leite humano. No Brasil, todos os bancos de leites em hospitais públicos e privados oferecem o serviço gratuitamente e dependem de doadoras”, esclarece.

 

BANCO DE LEITE – O Banco de Leite Humano do Hospital Santa Lúcia funciona todos os dias, das 7h às 19h, para garantir o aleitamento exclusivo dos bebês na maternidade ou na UTI Neonatal. A Unidade conta com uma equipe qualificada e capacitada pela Fiocruz, composta por quatro técnicas de Enfermagem, duas enfermeiras assistenciais e uma enfermeira supervisora.

 

De acordo com a enfermeira Sheila Almeida, todo o leite recebido pelo BLH passa por um processo de seleção, classificação e pasteurização. Para ser distribuído, ele é manuseado com materiais esterilizados e armazenado com toda a segurança e em local limpo e com temperatura adequada.

 

COMO DOAR – Para ser doadora, a mulher precisa produzir um volume de leite além da necessidade do seu bebê, ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente.

 

“A nutriz interessada pode entrar em contato com o BLH Santa Lúcia pelo telefone 3445-0319 e realizar um cadastro para que nossa equipe faça a triagem, além de encaminhar a cópia do cartão de pré-natal”, detalha Sheila Almeida.

 

O Banco de Leite do HSL envia, gratuitamente, para a residência o kit de coleta, contendo máscara, gorro, etiquetas e pote esterilizado. O leite deve ser identificado e conservado no congelador por até 15 dias. O Santa Lúcia realiza a coleta na casa das doadoras de segunda a sexta, das 8h às 17 horas.

 1 COMENTÁRIOS

Emilia Alves de Sousa is offline

Olá Rafael,

Que boa notícia!

 Está de parabéns o coletivo de trabalhadores do Banco de Leite Humano do Hospital Santa Lúcia pela conquista do Padrão Ouro no trabalho que desenvolve!

Muito gratificante saber que o Brasil é o país que mais coleta leite materno no mundo. Uma iniciativa que produz muitos benefícios para o crescimento e o desenvolvimento saudável do bebê. E fomentar o aleitamento materno nos primeiros anos de vida da criança deveria ser um compromisso de toda instituição de saúde.

Obrigada pela postagem!

AbraSUS!

Emília

Últimos posts promovidos

Últimos posts comentados


deboraligieri is offline
1votos

OPAS/OMS divulga alerta epidemiológico sobre febre amarela para as Américas

A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) divulgou no dia 09/01/17 uma atualização de alerta epidemiológico sobre febre amarela para a Região das Américas. O documento informa que, desde 2016, Brasil, Colômbia e Peru reportaram casos confirmados da doença. A febre amarela é uma enfermidade hemorrágica viral aguda transmitida por mosquitos infectados. Pode ser prevenida por uma vacina eficaz, segura e acessível.