Cogestão do SUS

Primary tabs


6votos

Cogestão do SUS

Adria Cristine is offline

A Gestão tem como objeto o trabalho humano, organizar e estabelecer fluxos para dar continuidade no processo de trabalho, visando atender as organizações e os trabalhadores.

Já a Co-gestão inclui novos sujeitos na gestão, visando a pactuação de compromissos coletivos e a democratização do poder em  todas as dimensões da vida institucional e social: “a base da cogestão, ninguém governa sozinho”

 

Na saúde a co-gestão vem convidar a todos os profissionais a participarem do processo de construção de uma rede de saúde viva, onde o atendimento integral seja o objetivo de todos.

 

A Co-gestão estimula o trabalho em equipe, onde as especificidades dos trabalhos precisa ser compartilhada, para facilitar o fluxo operacional e a tomada de decisão visando à qualidade dos serviços prestados. No trabalho em equipe é necessário o compartilhamento de idéias que vão auxiliar na tomada de decisões para atender as necessidades técnicas e a melhorias dos cuidados prestados pela equipe.

 

O Gestor tem papel fundamental, pois é ele quem vai fomentar a Co-gestão criando espaços de discussões sobre as necessidades e prioridades dos serviços e dos usuários e para criar alternativas na melhoria do fluxo de trabalho bem como no atendimento a ser prestado, estimulando a integração entre os membros da equipe.

 

Não podemos esquecer, que com a Co-Gestão surge a Gestão Participativa, onde o usuário é incluído como novo membro na Gestão do SUS. Através de uma série de atividades para aprimoramento da gestão, por meio apoio ao controle social, à educação popular, à mobilização social, na busca da eqüidade, com monitoramento e avaliação, ouvidoria, auditoria e gestão da ética nos serviços públicos de saúde, na busca incansável pela melhoria dos serviços.

 

A Gestão Participativa se faz essencial pois é o espaço onde o SUS aplica a Cogestão. A partir dos Conselhos de Saúde e que tem em sua composição 50% de usuários, 25% de profissionais de saúde e 25% de gestores; e Colegiados.

 

Um outro exemplo de Cogestão dentro do SUS que é aplicado dentro dos serviços, é a Cogestão dos próprios profissionais da saúde, que se reúnem para deliberar o que pode ser melhor para o usuário.

 

Componentes da postagem: Adria Cristine, Lorena de Alcântara, Lorena de Almeida e Rebeca Campos

 
 

 2 COMENTÁRIOS

Emilia Alves de Sousa is offline

Olá Adria e equipe,

Essa é uma das apostas da Política Nacional de Humanização, a gestão cogerida nos espaços de saúde, fomentando o trabalho em equipe numa relação dialógica e democrática, onde cada sujeito envolvido na produção de saúde seja protagonista nesse processo. Entretanto, como consolidar na prática os conceitos que envolvem a cogestão e a gestão participada? Que dispositivos devem ser implementados nos espaços de saúde que garantam um fazer e um gerir com protagonismo e corresponsabilização nos processos de trabalho?

Compartilho alguns relatos socializados aqui na rede sobre a cogestão, que ajudarão nas reflexões dessa diretriz tão importante

http://www.redehumanizasus.net/85459-gestao-participativa-e-cogestao-o-que-e

http://www.redehumanizasus.net/category/tags/cogestao-e-gestao-participativa

Valeu galera pela publicação!

AbraSUS!

Emília

 

Lorena de Alcântara e Silva is offline

Complementando a postagem acima o grupo traz essa imagem.

Últimos posts promovidos


Raquel Torres Gurgel is offline
7votos

Dá pra ter uma mostra Saúde É Meu Lugar na sua cidade.

Há três ou quatro meses, divulgamos aqui a Mostra Saúde É Meu Lugar – um projeto da Rede Brasileira de Escolas de Saúde Pública que busca dar visibilidade ao trabalho de quem atua na Atenção Básica, nos territórios.

Últimos posts comentados


Ronaldo Rodrigues is offline
6votos

O diabetes não define minha Vida

Início esse texto retratando a minha luta de ativista aqui no meu estado, como todos meus leitores são sabedores tenho Diabetes Tipo I desde o ano de 2012.

O ano de 2012 marcou minha história ou melhor minha vida, quem sabe para melhor. Assim me fez torna-se uma pessoa diferente e que não passaria a olhar apenas para me mesmo e sim ampliar esse olhar e buscar ajudar a outros jovens e crianças com o meu mesmo diagnostico.