O papel da Atenção Básica nas redes

Primary tabs


6votos

O papel da Atenção Básica nas redes

Wando Francisco de Andrade Júnior is offline

O Sistema Único de Saúde possui um arranjo organizacional em redes, e a principal área de entrada e teoricamente resolutividade desse serviço é a atenção básica. Nesse nível são desenvolvidas estratégias como o saúde na família, que preconiza a reorganização do sistema, voltados à estratégia de expansão através da mudança nos processos de trabalho, tal redirecionamento proporciona ampliar a resolutividade, bem como impacto na situação de saúde de pessoas e coletivos.

De acordo com o Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, até o mês de Abril de 2016 havia aproximadamente 124.595.058 pessoas cobertas pela estratégia Saúde da Família, o que dá uma proporção de quase 65% de pessoas atendidas. Esse número reflete uma necessidade de expansão do serviço, pois o preconizado como essencial é uma cobertura de mais de 70%, sem contar que essa taxa varia de acordo com região, tendo algumas que se encontram em torno de 30%, como é o caso do Distrito Federal.

Esse número deveria ser maior, pois a atenção básica deve ser o serviço principal dentro do nosso Sistema Único de Saúde. Ao pensar na articulação das Redes de Saúde, a AB configura-se tanto como a porta de entrada, como aquela que irá reabilitar o usuário em seu ambiente familiar. Nesse sentido, o papel desse serviço é o de manter uma comunicação ativa com os demais níveis de atenção da Rede de Saúde, de modo que possa haver integralidade do cuidado, bem como longitudinalidade das ações e serviços prestados à comunidade.

 0 COMENTÁRIOS

Últimos posts promovidos


Harete Vianna Moreno is offline
11votos

13 Razões e 50 regras: é chegada a hora de falarmos abertamente sobre o suicídio na adolescência

A série do Netflix "13 Reasons Why", estreou no final de março e causou um grande alvoroço no Brasil, especialmente pelas opiniões antagonistas, tão comuns nessa época polarizada, binarizada, dividida, em que vivemos.

Narrando a história de uma adolescente que grava em fitas cassete as 13 razões que a levaram ao suicídio, a análise de quem não indica a série baseia-se na ideia de que ela pode ser um gatilho para pensamentos suicidas, na medida em que coloca essa ação como a única saída possível.

Últimos posts comentados


Raphael Henrique Travia is offline
3votos

1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde: Direito á Informação, garantia de direito á saúde

Olá Humanautas,

Começo esta postagem voltando no tempo e no CiberespaSUS, mais especificamente quando fui apresentado pela Sabrina como Blogueiro na RHS e a Jornalista Mariella comentou que achava legal o quanto as pessoas se apropriam da RedeHumanizaSUS. É deste lugar que eu escrevo e não da cadeira acadêmica ocupada por alguém que domine as técnicas de comunicação fazendo disso sua profissão.