Política Nacional de Humanização: Acolhimento

Primary tabs


8votos

Política Nacional de Humanização: Acolhimento

Wando Francisco de Andrade Júnior is offline

A Política Nacional de Humanização, lançada em 2003, tem como objetivo melhorar os atendimentos oferecidos em serviços de saúde, pondo em prática os princípios da universalidade, integralidade e equidade. Tal política visa promover maior diálogo entre os participantes do SUS (profissionais, usuários, gestores), e estabelecimento de relações mais horizontais e humanizadas.

Ao chegar em um serviço de saúde, a primeira etapa para termos acesso é o acolhimento, que a política traz como o reconhecimento de que o próximo tem uma necessidade de saúde que precisa ser solucionada, e por trás da queixa existe um cidadão com ciclos sociais e necessidades que podem corroborar para a situação daquela pessoa. Através do diálogo, que é uma peça fundamental no processo de humanização do atendimento, será estabelecido um vínculo, que a medida que ele for sendo fortalecido, melhor será a abertura do usuário para dar sinais sobre o que pode estar causando aquela necessidade de saúde.

Nesse sentido, surge a necessidade de aprimoramento dos prestadores de serviços do SUS, para que o processo de acolher seja qualificado. Assim sendo, é oportuno que a escuta se fundamente não apenas no habitual queixa conduta, mas sim buscar ir além, se possível observar os Determinantes Sociais que aquela pessoa possui, para uma melhor intervenção e resolutibilidade das necessidades de saúde da população.

E então HumanizaSUS, como podemos melhorar o acolhimento dentro do nosso sistema de saúde ?

 

 0 COMENTÁRIOS

Últimos posts promovidos


Raphael Henrique Travia is offline
5votos

"Nós" da RedeHumanizaSUS fazendo história na 1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde

No dia 19.04.2016 fiz logo cedo o credenciamento da 1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde para poder escolher as mesas das quais iria participar.

Últimos posts comentados


cleusapavan is offline
10votos

PRODUÇÃO DE SUBJETIVIDADE: COMO ANDA O IMAGINÁRIO SOCIAL DA PERIFERIA DE SÃO PAULO

Quem trabalha ou se interessa pela temática da produção de subjetividade no contemporâneo, mais especificamente, no Brasil de 2017, vai encontrar dados muito instigantes na pesquisa recém saída do forno da Fundação Perseu Abramo: “Percepções e valores políticos nas periferias de São Paulo”.

Trata-se de uma pesquisa qualitativa em que, com categorias originais, nos aproximamos de uma construção analítica passível de nos surpreender imensamente.