organismo versus corpo-sem-órgãos corpos que não aguentam mais

Primary tabs


13votos

organismo versus corpo-sem-órgãos corpos que não aguentam mais

Maria Luiza Carrilho Sardenberg is online

O organismo investe sem pena o corpo sem órgãos.

Os corpos não aguentam mais...

Ricardo lançou uma tarefa para nós há algum tempo:

Pensar sobre a nossa rede como um meio de dissolução do organismo. Acabar com o julgamento e em seu lugar colocar a compreensão. No sentido que Espinosa deu a esse movimento. Ou seja, promovendo o pensamento, a potência do intelecto e, consequentemente, a liberdade humana.

Pois bem...Tudo isso me ocorre ao ler o post do Erasmo, onde cores encobrem a discussão da complexidade e singularidade dos pedidos de ajuda que nos chegam. Coincidentemente saio de uma reunião clínica cuja árdua tarefa é novamente pensar uma reorganização do trabalho. Momento sempre precioso para fazer vibrar as velhas formas ( e o  Pistas do método cartográfico cai como uma luva! ), mas também para novas investidas das organizações classificatórias mortíferas!!! Meu corpo não aguenta mais...Estou só...e meu `olhar poético`( como diz o Edu) é enquadrado como não podendo fazer parte da `realidade` que tomamos como objeto de discussão. Regras da clínica, norteamentos técnicos do tipo oficial ( de polícia? de justiça?) inundam as conversas. Lembro da Ângela falando sobre como é difícil ser minoritário...

Uma cena para exemplificar a dureza de mármore do Julgamento:

Menos gente na equipe. Proponho fazermos nosso pronto-atendimento ( atualmente feito individualmente ) em grupo, apostando na potência do dispositivo para junto com os pacientes decidirmos, entre outras coisas, a questão da classificação de riscos. Alguém objeta que podem entrar no grupo pessoas ìnadequadas`( leia-se malucos, hiperativos, etc ), o que incrementa a mão de obra dos profissionais e atrapalha o julgamento clínico!!! Argumento que já fizemos esta experiência com sucesso no passado da clínica. Tôla! Este é apenas um dos exemplos da força do organismo. Tenho trazido prá rede uma avalanche de coisas como a medicalização da vida infantil, os diagnósticos que atentam contra a liberdade infantil, as diversas formas de exclusão a que levam as classificações, etc.

A interlocução com vcs é aumento de potência!

Espinosa diria: sai do padecimento e parte prá ação!!! Falou e disse!!!

Iza

 

 2 COMENTÁRIOS

simone mainieri paulon is offline

a gente nunca sabe o quanto pode um corpo, também lembra o filósofo . e tua posição nessa equipe não deve estar mobilizando pouco os poderes "orgânicos", afinal, lembrar o quanto pode um grupo, o quanto o serviço tem que poder mais... não é prá qualquer corpo (quem dirá a maioria dos que compõem os tradicionais "corpos clínico"). Como se diz na minha terra, Luiza, não podemo é se entrega pros home, de jeito nenhum! bjs e força 
 

Maria Luiza Carrilho Sardenberg is online

 

Oi Simone,

Legal vc me lembrar que ninguém sabe o que pode um corpo. Novas composições o potencializam mais, é verdade. Composições com gente, idéias, livros, paisagens, temperaturas, devires imperceptíveis...

obrigada

Iza

 

 

Últimos posts promovidos


Raquel Torres Gurgel is offline
7votos

Dá pra ter uma mostra Saúde É Meu Lugar na sua cidade.

Há três ou quatro meses, divulgamos aqui a Mostra Saúde É Meu Lugar – um projeto da Rede Brasileira de Escolas de Saúde Pública que busca dar visibilidade ao trabalho de quem atua na Atenção Básica, nos territórios.

Últimos posts comentados


Comitê Médio Vale is offline
4votos

Inicia se a série de oficinas Microrregionais de Humanização do Médio Vale do Itajaí!

 

A primeira acontecrá em Brusque SC no dia 24 08 2017.

A proposta foi construida pelo Comitê Regional de Humanziação do Médio Vale do Itajaí em parceria com o CIES (Comissão Integração Ensino e Serviço do Médio Vale do Itajaí) e com apoio da CIR (Comissão Intergestores Regionais do Médio Vale do Itajaí).