Acolhimento com Classificação de Risco na dengue

Versão para impressãoSend by emailPDF version

As epidemias de dengue não são imprevisíveis e cabe ao gestor medidas para diminuir sua incidência, garantir o acesso e qualificar profissionais em sua avaliação e manejo. ( http://portal.saude.gov.br/saude/ ). No Rio de Janeiro, a PNH/SAS/MS, em ação conjunta com a SES/DEC, propõe uma avaliação dos casos com suspeita de dengue a partir de protocolos elaborados de acordo com critérios  do MS/SVS e OMS, associados a cores conforme Planos de Catástrofes ( www.acolhimento.com ).

Os protocolos não só têm a função de diagnóstico e tratamento, como também a de orientar os fluxos na Rede de Atenção, propor responsabilizações, avaliar insumos e necessidade de profissionais.

Veja os arquivos:

  1. Acolhimento com classificação de risco na febre de até 7 dias;
  2. Manejo clínico na dengue;
  3. Capacitação de médicos na dengue.

Veja os filmes:

  1. WHO - Dengue Haemorragic Fever, East Timor
  2. FIOCRUZ - Aedes Aegypt