O PÚBLICO E O PRIVADO NA SAÚDE: Atendimento aos usuários

Primary tabs


14votos

O PÚBLICO E O PRIVADO NA SAÚDE: Atendimento aos usuários

Sabrina G_ is offline

Conforme proposto em sala de aula, venho colocar minha opinião sobre o sistema de saúde tanto público quanto privado, pois ambos tem muito a melhorar. Como dinâmica proposta na disciplina de Psicologia da saúde da FISMA, descrevo alguns de meus questionamentos acerca das atividades realizadas em aula.

No filme Sicko tivemos a oportunidade de ver a opinião de usuários do sistema público e privado que contam suas experiências em que, algumas tiveram "finais felizes" e outras não.

Quando me refiro a final feliz pretendo relacionar com os casos em que o paciente consegue fazer uso do serviço e que este atenda sua necessidade.

De acordo com os vídeos divulgados no site "Psicologia dos Psicólogos", em casos de usuários de drogas muitos hospitais privados se utilizam de internação compulsória que muitas vezes não trata o sintoma, mas somente a causa.

O SUS nestes casos preve um tratamento multiprofissional e que atenda todas as necessidades do paciente. A intenção não seria a exclusão, mas sim inserir o indivíduo a sociedade, fortalecendo os laços assim como descreve o filme.

Ou seja, é a sociedade e o poder público em prol da saúde promovendo uma conscientização do atual estado do problema do sujeito e reabilitando-o.

Retomando ao filme Sicko, percebemos o quanto de dinheiro gira em torno da doença e que os planos de saúde privados em geral, cada vez mais, vem crescendo em faturamento, porém sem o devido retorno a seu cliente que por vezes não tem um bom atendimento. Então, assim como comentado nos vídeos "Drogas e cidadania" do site referido acima, hospitais privados, indústria farmacêutica em geral e unidades de atendimento privados cada vez mais enriquecem a custa das doenças que não estão tendo a devida atenção-"sem solução".

O SUS ainda tem muito a melhorar devido ao tempo de espera por atendimento, especialistas, mas em contrapartida vem se modernizando em busca de procurar melhores tratamento como podemos perceber nos casos de usuários de crack que de diferentes formas atua promovendo atendimento a saúde mental ao invés da simples internação.

 

 

 

 

 3 COMENTÁRIOS

Cláudia Matthes is offline

mas, temos muito chão pela frente. O SUS está caminhando sim, acho que no que tange a algumas patologias ainda não estamos prontos e com soluções definitivas, mas, esforços por esse Brasilzão a fora tem feito grandes diferenças.

O que vc acha de partilhar conosco o link ao qual vc se refere:Psicologia dos Psicólogos.

Seja muito bem vinda a essa rede, venha dividir conosco suas experiências enfim, sinta-se em casa.

Um beijo no coração, sempre a disposição

Cláudia Peju

Sabrina G_ is offline

Muito obrigada e desculpa a demora.

Segue o site recomendado:

psicologiadospsicologos.blogspot.com.br

 

Douglas Casarotto de Oliveira is offline

Sabrina, seja bem vinda!

Bom ver a partir de seu escrito que os recursos que estamos trabalhando em aula estão servindo pra pensar no SUS e seus potenciais, desafios, entraves...

A forma de nos inserirmos nessa construção é o que espero poder pensar com esta turma de maneira que como profissionais, onde estejam atuando, consigam linkar suas práticas com todas essas analises que a psicologia da saúde, a saude coletiva exigem...

abraços

 

Últimos posts promovidos


Mariella is offline
4votos

Túnel do tempo conta a história da Fiocruz em Brasília e a da 8ª Conferência Nacional de Saúde

 

Exposição se vale de imagens e tecnologias interativas e ficará aberta ao público de 12 a 16 de dezembro 

Últimos posts comentados


Clyton A P Houly - ClytonDiAju - ClytonDiTraipu is offline
6votos

SOFRIMENTO E MORTE DE MÉDICAS CUBANAS, NO PROGRAMA MAIS MÉDICOS PARA O BRASIL-PMMB

*******************************************************************************

1. QUATRO MORTES E UM ESTUPRO

2. NO INTERVALO DE ONZE MESES, INICIANDO EM DEZEMBRO DE 2015

3. DUAS MORTES NO PARANÁ , UMA NO CEARÁ E UMA NA BAHIA.

4. UM CASO DE ESTUPRO, NO AGRESTE DE PERNAMBUCO.

5. A ÚLTIMA MORTE EM IGUATU, CEARÁ, ÀS VÉSPERAS DO RETORNO DA DOUTOURA CUBANA PARA SUA TERRA NATAL.

6. UMA MORTE TERIA SIDO INFARTO DO MIOCÁRDIO

7. A OUTRA TERIA SIDO INFLUENZA H1N1

8. A ÚLTIMA, DE IGUATU-CEARÁ , TEVE LAUDO MÉDICO , DE CAUSA INDETERMINADA