Natal, tempo de reflexão!


17votos

Natal, tempo de reflexão!

Emilia Alves de Sousa is offline

Natal, tempo de festas, de confraternização e de reflexões. Tempo em que estamos mais sensíveis, alegres, contagiados pelo espírito natalino que envolve a todos. Tempo em que devemos fazer um balanço de nossas vidas, das nossas ações, se fomos justos, éticos, solidários com os nossos familiares, amigos, usuários, enquanto  pessoa, enquanto profissionais. Tempo em que devemos somar todas as alegrias, e subtrair todas as tristezas vivenciadas.

 
Este ano de redehumanizasus foi um ano muito especial pra mim. Foi um ano de muitos aprendizados, trocas, compartilhamentos de conhecimentos, idéias, afetos e de encontros. Foi um ano em que me tornei uma das editoras/cuidadoras desta rede, uma das funções mais gratificantes já assumida na vida pessoal e profissional. 
 
Através da rede, tive a oportunidade de conhecer pessoas/ profissionais/gestores/usuarios fantásticos de todos os rincões do pais. Tive a oportunidade de conhecer experiências exitosas d e todo o território susista brasileiro, as quais, certamente, agregaram mais eficiência/qualificação `as minhas praticas profissionais cotidianas.
 
Através da rede tive a grata alegria de conhecer pessoalmente profissionais maravilhosos, implicados com a saúde publica, como a Patrícia Silva, a Iza sardenberg, a Rejane Guedes, a Luciane Régio, a Claudia Matheis, a Shirley Monteiro, a Dani Matielo, a Mariela...,  enfim, conheci toda a equipe de editores/cuidadores desta incrível rede de colaboração social do território susista, os quais conhecia apenas virtualmente. Me reencontrei com profissionais queridos como Ricardo Teixeira, Jacqueline Abrantes e Erasmo Ruiz. Foi uma emoção/vivência  indescritível! Aprendi, construí, desconstruí, re-construi, sorri, chorei, me encantei, enfim, vivi intensamente momentos únicos!
 
Aproveito a oportunidade para desejar a todos os amigos desta rede, um bom Natal e um Ano Novo repleto de grandes realizaçoes e belos encontros pelas redes da vida!
 
Um beijo afetuoso!

Emilia
 

 18 COMENTÁRIOS

Emilia Alves de Sousa is offline

 Linda mensagem companheira! Você também e´ uma dessas pessoas que lutam por um SUS melhor! E caminhar com você nesta militância e´ muito gratificante! Que em 2012, possamos continuar seguindo juntas nesta caminhada com muita mais disposição e alegrias!

Feliz Ano Novo pra você e família!

Beijos!

Emilia

Emilia Alves de Sousa is offline

Querido Erasmo,

Você é que é o nosso Rei Midas da RHS.Você é que tem esse dom de deixar tudo mais lindo e leve!

Na reavaliação das nossas ações implementadas no HILP, sentimos a necessidade da sua colaboração para a retomada e ampliação das nossas discussões acerca da Tanatologia. Estamos realinhando o nosso plano de ação e faremos contato com você posteriormente. Esperamos contar com a sua valiosa contribuição nesse sentido!

Um Ano Novo recheado de coisas boas pra você e família!

Um beijão no seu coração!

Emília

Emilia Alves de Sousa is offline

Oi Iza,
Você  com a sua marca registrada, “Ízica”, foi uma das coisas boas que eu encontrei nesta rede! Você não tem idéia do quanto tenho aprendido com você! Um aprendizado transbordante através das ricas reflexões/ponderações trazidas nos seus posts e comentários realizados.
Desejo a você e a sua linda e encantadora família, um Ano Novo “Izíco”, transbordante de grandes e felizes realizações!

Um beijão!
Emília

 

Últimos posts promovidos


gustavonunesoliveira is offline
12votos

Marcus Matraga e as nossas lutas! Luto e Homenagem!

Hoje soube logo no começo da tarde, através de nota do Movimento Nacional de Luta Antimanicomial veiculada pelo Facebook da tragédia ocorrida no município de Jaguaripe. O senhor barbudo que andava se metendo em conflitos entre Fazendeiros e Indígenas foi sequestrado e assassinado esta noite de 4/02/2016. O nome dele de nascença é Marcus Vinicius de Oliveira Silva, mas nós o conhecemos com o nome de Marcus Matraga, do movimento de Luta Anti Manicomial.

Últimos posts comentados


deboraligieri is offline
6votos

Os sentidos do (re)nascer e do morrer e o diabetes (viver ou morrer, eis a questão)

Desde que fui diagnosticada com diabetes tipo 1 em 1986, aos 9 anos de idade, recebi orientações sobre os riscos que a doença não tratada poderia me trazer. Ouvi muitas histórias - de médicos, profissionais de saúde e amigos dos meus pais - sobre pessoas que não se cuidaram e que morreram jovens com deficiências múltiplas em função das complicações do diabetes mal controlado.