A lenda da índia Obirici


12votos

A lenda da índia Obirici

Dênis Petuco is offline

No Bairro IAPI, em Porto Alegre, entre o Viaduto da Volta do Guerino e o Supermercado Carrefour, tem a estátua de uma índia. Segundo a lenda, Obirici era uma linda índia da tribo dos Tapimirins, e estava apaixonada por um guerreiro da tribo dos Tapiaçus, mas ele já estava prometido para a índia Iurá. Definiu-se uma disputa em arco e flecha, e Obirici, nervosa, acabou errando a pontaria, perdendo seu amado.

Sem forças para sair do lugar, Obirici ficou ali, chorando, e implorando a Tupã que lhe desse a morte, junto com o primeiro raio de sol, ou do luar. Tupã demorou-se em atender ao pedido da jovem, e quando lá chegou para buscá-la, encontrou apenas um rio de água límpida, formado pelas lágrimas da índia. O rio passou a ser chamado de Ibicuiretã, ou "Rio de Areia". Daí o nome Passo D'Areia, que identifica o bairro ao lado do IAPI.
 

 5 COMENTÁRIOS

Luciane Régio is offline

Olá, Dênis,

Aqui está o índio ST, na entrada da minha cidade natal de São Sepé, no centro do estado do RS :) Mas avisa pra Obirici que ele já tem flecha e vai ser difícil acertá-lo :D

Abraço, rsrs

Lu

Luciane Régio is offline

Vou trazer o Sepé Tiaraju sim! Obrigada, Dênis, por trazer a índia :)

Em tempos que eles ficam às margens das rodovias, seus bairros-mundo robados... vou ver se a SOL se junta também e conta algumas histórias de outros que aqui em Santa Maria vivem...

Pretendo contar em alguns dias, ainda estou no trabalho (olha a hora) e em casa sem internet, que só prometo resolver... quem mandou ir morar onde ela não chega? É que eu também me sinto meio índia... moro quase fora da cidade, com a diferença de que eu escolhi.

No momento, precisando da minha casa mesmo, mas eu volto!!

Vou mais alegre com este post!!!!

Bjs,

Lu

Emilia Alves de Sousa is offline

 Denis, Shirley e demais companheir@s,

Muito bacana o resgate historico desta lenda. Me remeteu `a lembrança da lenda do guarana´, contada por uma querida professora do meu tempo de " ginásio " . Confiram!

                     A lenda do Guaraná 

Aguiry era um alegre indiozinho, que alimentava-se somente de frutas. Todos os dias saía pela floresta à procura delas, trazendo-as num cesto para distribuí-Ias entre seus amigos. Certo dia, Aguiry perdeu-se na mata por afastar-se demais da aldeia. Jurupari, o demônio das trevas, vagava pela floresta. Tinha corpo de morcego, bico de coruja e também alimentava-se de frutas. Ao encontrar o índio ao lado do cesto, não hesitou em atacá-lo. Os índios encontram-no morto ao lado do cesto vazio. Tupã, o Deus do Bem, ordenou que retirassem os olhos da criança e os plantassem sob uma grande árvore seca. Seus amigos deveriam regar o local com lágrimas, até que ali brotasse uma nova planta, da qual nasceria o fruto que conteria a essência de todos os outros, deixando mais fortes e mais felizes aqueles que dele comessem. A planta que brotou dos olhos de Aguiry possui as sementes em forma de olhos, recebendo o nome de guaraná.

Um grande abraço!

Emilia

 

Últimos posts promovidos


gustavonunesoliveira is offline
11votos

Marcus Matraga e as nossas lutas! Luto e Homenagem!

Hoje soube logo no começo da tarde, através de nota do Movimento Nacional de Luta Antimanicomial veiculada pelo Facebook da tragédia ocorrida no município de Jaguaripe. O senhor barbudo que andava se metendo em conflitos entre Fazendeiros e Indígenas foi sequestrado e assassinado esta noite de 4/02/2016. O nome dele de nascença é Marcus Vinicius de Oliveira Silva, mas nós o conhecemos com o nome de Marcus Matraga, do movimento de Luta Anti Manicomial.

Últimos posts comentados


Emilia Alves de Sousa is offline
1votos

Ampliação da saúde indígena: Criação da DSEI-PI

O Estado tem uma grande dívida com a população indígena pelo genocídio cometido pelos bandeirantes contra os índios que habitavam no território piauiense. De acordo com os historiadores, por volta de 1670, o bandeirante paulista Domingos Jorge Velho veio para o Nordeste, com a missão de acabar com os índios da região do rio São Francisco, para estabelecer estâncias de criação de gado na região.