Política de promoção da saúde do trabalhador do SUS recebe sugestões

Versão para impressãoSend by emailPDF version

 O Ministério da Saúde lançou a Consulta Pública n° 3/2011, para  colher sugestões para a elaboração das diretrizes da Política Nacional de Promoção da Saúde do Trabalhador do SUS.

 

A Política Nacional de Promoção da Saúde do Trabalhador do SUS vai promover melhorias nas condições de saúde do trabalho no setor, por meio do controle dos fatores de risco e da facilitação do acesso, por parte dos trabalhadores, aos serviços de atenção integral à saúde.

 

Qualquer pessoa pode fazer suas contribuições.“A participação de trabalhadores da saúde, dos usuários, dos gestores, dos prestadores de serviços e da sociedade em geral é fundamental para a elaboração da Política Nacional de Promoção da Saúde do Trabalhador do SUS. É essa participação que torna possível compreender e atender as necessidades e anseios reais da classe trabalhadora”, explica o diretor do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador do Ministério da Saúde (DSAST/SVS/MS),  Guilherme Franco Netto .

 

Entre as diretrizes já estabelecidas no documento estão promoção de políticas intersetoriais para a melhoria da qualidade de vida e redução da vulnerabilidade e riscos no ambiente de trabalho do SUS, promoção de processos de educação permanentes nos estabelecimentos de saúde, e incentivo ao desenvolvimento de pesquisas na área de Saúde do Trabalhador voltadas para o ambiente de trabalho no setor de saúde.

 

 

 

ENVIE SUA SUGESTÃO

Por carta
Endereçada para Ministério da Saúde, Esplanada dos Ministérios, Bloco G, 7º andar, sala 751, Brasília-DF, CEP 70.058-900, com a indicação “Sugestões à minuta de portaria que institui as Diretrizes da Política Nacional de Promoção da Saúde do Trabalhador do Sistema Único de Saúde”.

 

Por correio eletrônico
Para o endereço comitestsus@saude.gov.br, com a indicação “Sugestões à minuta de portaria que institui as Diretrizes da Política Nacional de Promoção da Saúde do Trabalhador do Sistema Único de Saúde”.

 

Pelo site do Ministério da Saúde
Acesse http://www.saude.gov.br/consultapublica. Clique em Escolha da consulta, no topo da página. Depois, clique no botão Contribuir. Em seguida, será necessário fazer um cadastro no sistema de consultas. Feito isso, é só escolher a consulta com a descrição “Minuta de portaria que institui no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS as Diretrizes da Política Nacional de Promoção da Saúde do Trabalhador do SUS”, e digitar a sugestão.

Fonte: Agencia Brasil

 

Comentários [4]

 Olá, Shirley, gostei de sua

 Olá,

Shirley, gostei de sua convocatória para que os NÓS desta e das muitas redes que participamos entrem com força na consulta pública. O documento precisa das mais diversas criticas e contribuições para intervir neste campo minado.
 
Marcos, não somos ingenuos ou tentamos/fazemos um enorme esforço para não ser... Vc tem toda razão. Há uma luta histórica dos trabalhadores pela garantia de seus direitos no mundo do capital. Há também contradições naturalizadas do próprio SUS e do Estado brasileiro. Há sim muitos interesses para manter tudo como está. Entretanto, foi pela brechas que as Diretrizes foram produzidas e só depois de muita luta dos trabalhadores que estão em consulta pública. Não é por acaso que este documento só é construido depois de  duas décadas de SUS.   
 
Uma provocação: como ir a raiz do problema quando fomos frutos desta árvore?
 
Para quem se interessar, há alguns posts aqui na RHS que contam um pouco da história da construção das diretrizes:
http://www.redehumanizasus.net/9270-comite-nacional-de-promocao-da-saude-do-trabalhador-do-sus-inicia-atividades
 
Como podem ver, está é a 3° vez que o documento vai para consulta pública.
http://www.redehumanizasus.net/11599-consulta-publica-sobre-a-politica-nacional-de-promocao-a-saude-do-trabalhador-do-sus-ja-comecou
 
um abraço, Catia

Vamos nos Co-responsabilizar !

 Queridos Companheiros,

Observem bem que esta  iniciativa da CONSULTA PÚBLICA acerca de um tema que nos afeta a todos, a Saúde do Trabalhador da Saúde,  nos mostra  a POSSIBILIDADE de avanços na área !!

Indica também os bons e potentes efeitos infiltrantes da PNH, que tem como uma das suas diretrizes a valorização do trabalhador do SUS, e   entre seus  princípios,   a Inclusão dos sujeitos e coletivos -  (SIM, aqui somos cada um de Nós convocados a colaborar com a gestão de mais uma ´política  estratégica a ser implantada !! )- além da inseparabilidade entre a gestão e a atenção !!!

Gostaria e tentarei imprimir AVISOS  DESTA CHAMADA  a ser socializado com cada profissional do SUS que conheço e que ainda muito critica-o, e sim, nós temos problemas !! Mas que, na hora de contribuir  e construir juntos  as propostas e caminhos de mudanças, se ausentam inertes para as reuniões seguintes, dos passos iniciais dos encaminhamentos que se seguem.

Onde trabalho estes são a minoria,  mas existem estes, alegando sempre seus direitos na frente dos direitos dos usuários. Temos nossos sofrimentos diários e cotidianos como trabalhadores da saúde, e por isso mesmo devemos fazer valer o nosso direito de vóz ! Ainda que, o SUS apresente muitos entraves burocráticos, e até a provavel possibilidade de que esta Política demore a ser implementada de fato; considero importante que se faça a nossa parte, quem acredita e tem argumentos de análise para contribuir. Nossa cogestão no Sistema se dá também nestas ligeiras e rápidas oportunidades, aqui em nível da gestão nacional; temos que fazer a nossa parte !

 Saudações susistas.

 Shirley Monteiro.

 Grupo de Editores da RHS

Um fundamento para a iniquidade!

Neste texto fica claro, para além das boas intensões, os dilema da saúde do trabalhador no SUS.

Ela é pervertida pelas diferenças de financiamento entre instituições que faturam os mesmos procedimetos.

Ela é vilanizada e aviltada quando o quadro de salários leva a maioria dos profissionais a terem mais de um emprego.

Assim eles acabam pondo em risco a segurança de sua saúde na maioria dos casos.

Também a sua segurança jurídica nos casos em que os CNES - Cadastro Nacional de Serviços de saúde apresentam números de CPF com víncolos de até 168 horas de trabalho semanal.

Um típico caso de fraude contra o SUS e os cofres públicos.

Mas, vamos lá. Sugestões me parecem suspeitas. Temos intermináveis anais com o registro das melhores intenções, repetidas a cada conferência de saúde, seja no plano das carreiras do SUS, seja nos instrumentos de promoção da saúde do trabalhador.

O problema é que ficamos como estamos sem ir a raiz do problema.

saude do trabalhador

Estamos sim! de cuidar e ser cuidado tembém.